Arquivo mensais:outubro 2017

WhatsApp e o mercado imobiliário – Parte 3

Nesta terceira e última parte da série de artigos sobre o WhatsApp e o mercado imobiliário abordaremos questões sobre a etiqueta no uso do aplicativo e como isso pode influenciar a reação dos seus clientes. Se você perdeu os outros artigos pode ler a parte 1 e a parte 2.

Regras básicas de etiqueta não existem à toa. A diferença entre sem simpático e inconveniente vai muito além de um negócio concretizado. Significa também ser bloqueado e ganhar o rótulo nada desejado de chato.

1. Tanto no pessoal quanto no profissional

Se possível, tenha dois números de telefone e saiba dividir o que é pessoal e o que é profissional. Saiba separar os dois mundos.

2. Respeito a horário

Evite enviar mensagens depois do horário comercial, a menos que trate-se de um assunto de urgência. Mensagens à noite ou de madrugada perturbam o descanso e o sono das pessoas.

Mensagens aos finais de semana apenas se o cliente estiver esperando uma resposta sua ou se já há algum assunto em andamento.

3. Telefonema pelo WhatsApp

Desde 2015 o WhatsApp permite chamadas de voz (e mais recentemente chamadas de vídeo também). Embora prático e barato dependendo da situação é pouco funcional, especialmente se um dos dois estiver em uma rede móvel (3G ou 4G).

Prefira sempre fazer telefonemas convencionais. O custo não é alto (várias operadoras nacionais tem planos de voz com ligações ilimitadas) e há garantia de uma boa comunicação.

Chamada de vídeo deve ser algo totalmente evitado. Além de muito mais pesado do que uma ligação por áudio (voltando a possibilidade de um dos dois estarem em uma rede móvel), nem sempre o cliente deseja ser visto. Se estiver na intimidade de sua casa, pode estar mais à vontade e se sentir constrangido em ser visto de pijamas, por exemplo.

4. Tenha paciência

Você enviou uma mensagem. O cliente recebeu e leu, mas não respondeu. Tenha paciência e não seja inconveniente.

Se ele estiver interessado no assunto irá responder quando puder (já imaginou que ele estava em reunião quando leu e não pode responder naquela mesma hora?). Se não estiver interessado não adianta insistir no assunto.

5. Grupos e correntes

Não inclua seus clientes em grupos a menos que tenha a permissão deles para isso.

Da mesma forma, nunca, NUNCA, NUNCA, envie correntes a seus clientes.

Quando falamos de correntes nos referimos a “notícias” (as aspas estão aqui pois a maioria é notícia falsa), petições de todas as formas e convocações. O mesmo se aplica a memes e mensagens carinhosas de bom dia. Nem todo mundo gosta de receber isso.

6. Primeiro contato

Se você for enviar uma mensagem a um cliente pela primeira vez lembre-se de que é provável de que ele não possua seu contato e, portanto, não saiba quem você é. Não se esqueça nunca de se apresentar em primeiro lugar.

7. Escolha do avatar

A escolha do avatar deve ser cuidadosa também. Não use fotos comprometedoras, poupe sua família e também não use nenhuma foto “engraçadinha”. Use uma foto sua mesmo ou, se preferir, o logo de sua imobiliária.

WhatsApp e o mercado imobiliário – Parte 2

Continuamos essa semana a sequência de artigos sobre o WhatsApp e o mercado imobiliário. Nesta segunda parte abordaremos as diferentes formas de comunicação que o aplicativo permite e como usá-las em cada circunstância.

Embora o aplicativo tenha nascido como uma ferramenta de troca de mensagens hoje é possível compartilhar áudios, vídeos, fotos e outros tipos de documentos. A questão está em saber como utilizar cada um deles e em qual momento mais apropriado.

Mensagem de texto

Esse é o meio mais simples e direto de se enviar conteúdo a alguém: a mensagem de texto, digitada a partir do teclado do celular ou do computador. É simples o suficiente para chegar ao destinatário e a pessoa tem acesso rápido.

Está com sinal fraco ou internet com velocidade reduzida? A mensagem de texto é leve o suficiente para chegar ao destinatário. Procure sempre dar preferência a esse meio de comunicação.

Mensagem de áudio

Deve ser usado com mais cautela. Será que é realmente necessário enviar uma mensagem de áudio inteira só para perguntar se o cliente gostou da visita? Não é mais prático enviar uma mensagem de texto?

Além disso, não é em todo o momento que o seu cliente poderá ouvir o áudio. Se estiver em uma reunião, a mensagem de texto é muito mais prática (e discreta) para ser lida e respondida.

No entanto, a mensagem de áudio é mais prática em outros casos. Se o destinatário estiver dirigindo, por exemplo, ouvir a mensagem (especialmente se o celular estiver sincronizado com o sistema de áudio do automóvel) é muito mais simples e evita acidentes.

Vídeo

É um vídeo de um imóvel que deseja apresentar ao seu cliente? É muito provável que esse vídeo esteja publicado no YouTube e você deve dar preferência do envio do seu link. Enviar um vídeo por WhatsApp é algo bastante custoso em termos de pacote de dados e o resultado pode ser frustrante.

Além disso, é possível configurar o aplicativo para receber esse tipo de mídia apenas conectado em WiFi. Essa é, a propósito, a recomendação que se faz quando se configura o aplicativo pela primeira vez e é bastante provável que o seu cliente tenha feito isso.

Fotos

O WhatsApp permite o envio de fotos e muitos corretores utilizam esse recurso para enviar fotos de imóveis. Faça isso apenas com autorização do cliente (pergunte sempre se o cliente prefere receber as fotos por WhatsApp ou por e-mail). Do contrário, você poderá inundar o celular de fotos sem autorização e acabar mais cedo com o seu pacote de dados.

Lembre-se sempre de enviar as fotos originais, a partir do arquivo. Nunca, em hipótese alguma, fotografe a tela do computador!

Documentos

Mais recentemente o WhatsApp passou a permitir o envio de outros documentos, como PDFs, por exemplo.

A recomendação das fotos é a mesma neste caso. Pergunte antes ao cliente se ele deseja receber a cópia da minuta de contrato, por exemplo, por e-mail ou WhatsApp. Como trata-se de um recurso relativamente novo nem todas as pessoas tem familiaridade com esse tipo de recebimento ainda, sem falar da questão do pacote de dados.

Perdeu a primeira parte da série de artigos? Fique ligado em nosso blog. Em breve traremos a terceira parte do artigo especial sobre o WhatsApp com dicas de divulgação e regras de etiqueta.